21 de julho de 2021

 

Webinar promovido pelo Instituto de Embalagens discute a importância do material para inovar e comunicar os valores da marca

 

As embalagens de papel e papelcartão estão presentes no nosso dia a dia em muitos produtos. Elas são bastante utilizadas pela indústria de bens de consumo, pois apresentam grandes vantagens. O assunto foi discutido no Webinar Por que Embalagens de Papel e Papelcartão? transmitido no último dia 14 de julho pelo Instituto de Embalagens.

 

“A embalagem traduz os valores da marca – qualidade, tradição, custo-benefício, presenteável e embalagens premium – e tem tudo a ver com o que os consumidores esperam. Ela conta a história da marca e a história inspira o portfólio atual. O cartucho de papelcartão da linha de sabonetes Glicerina foi inspirado no primeiro sabonete, lançado pela Granado, em 1915. A embalagem de papel já estava presente naquela época. Resgatamos a aura de luxo do século 19 para os dias de hoje”, revela Débora Xavier, gerente de desenvolvimento de produtos da Casa Granado e Phebo.

 

Por que papel? Débora destaca quatro atributos do material que embala o portfólio de produtos da Granado e Phebo. “Qualidade de impressão, que além da fidelidade de cor, traz o efeito UAU. Permite criar formatos diferentes e personalizados, acabamentos gráficos que conferem requinte e versatilidade para atender qualquer projeto”.

 

Como um origami, arte milenar japonesa de dobrar o papel para criar objetos, a embalagem de papelcartão permite uma infinidade de possibilidades de formatos. Elaine Tateishi, coordenadora de embalagem sênior da Colgate-Palmolive, compartilhou o case do cartucho do creme dental Kids Minions para exemplificar esse atributo. “Tem uma forma diferenciada de abrir a embalagem e o verso traz atividades para divertir a criançada”, afirma.

 

 

Anualmente, o Grupo Boticário lança mais de 1000 produtos. A embalagem de

papelcartão têm um papel importante na decisão de compra. “Um exemplo é o lançamento da linha de maquiagem Cocoa Make B, cuja embalagem remete ao formato de uma barra de chocolate. O papelcartão reforça o apelo de autoindulgência ao consumidor, o famoso #nãoprecisomasquero”, diz Franciele Saorin, especialista em pesquisa de embalagem do Grupo Boticário. Ela continua: “Há também o apelo emocional, muito comum nos estojos de datas comemorativas, onde o papelcartão permite lembrar das pessoas que nos presentearam com o produto.

 

A dimensão da importância da embalagem de papelcartão para a Seara pode ser avaliada pelos números de 2020. No ano passado, a categoria de produtos congelados utilizou 191 milhões de embalagens de papelcartão. “O papelcartão gera valor aos produtos e, quando aplicado em bandejas, traz conveniência, é forneável e permite vários formatos”, diz Vitor Souza, gerente de desenvolvimento de embalagens da Seara. Ele continua: “Os cartuchos da linha Turma da Mônica têm um verniz especial que permite às crianças pintar o verso da embalagem. Mas, também já fizemos embalagens que viram brinquedos como jogo da memória e dominó”.

 

 

Visibilidade no ponto de venda

Para sair da gôndola de produtos orgânicos e migrar para a prateleira das aveias tradicionais, a Mãe Terra recorreu para a flexibilidade da embalagem de papelcartão que permitiu a exposição vertical da marca, destacando o produto na categoria. A cor rosa e o uso da janela que possibilita aos consumidores identificar facilmente os diferentes tipos de aveias também são diferenciais. “As vendas cresceram 40%”, revela Fernanda Bianchini, coordenadora de P&D de embalagem da Mãe Terra.

 

É difícil imaginar Natal sem o tradicional panettone. A embalagem amarela de papelcartão da Bauducco faz parte das celebrações natalinas dos consumidores brasileiros. O papelcartão sempre esteve presente na linha de embalagens de panettones da Bauducco, desde o começo da sua história no Brasil, em 1962. O formato e a cor amarela, segundo Davi Rodrigues, gerente de desenvolvimento de embalagens da Bauducco, são um código visual da marca. “A ilha de embalagens amarelas no ponto de venda destaca o produto”.

 

Maior produtividade

A embalagem de papelcartão traz inúmeros benefícios para a cadeia farmacêutica, proporcionando aumento de produtividade e melhoria dos processos. “É um material de fácil conversão que permite altas e baixas tiragens, principalmente para nossa empresa, que produz desde volumes de 1,5 milhão de unidades por mês até 20 mil unidades por mês”, explica Nilson Vieira, da área de desenvolvimento de embalagens da União Química. Ele continua: “O papelcartão também possibilita utilizar sistemas de segurança para os consumidores de medicamentos, como holografia, raspadinha, selos e travas”.

 

Sustentabilidade

Resultado do trabalho da Votorantim Cimentos e da Klabin, a embalagem de papel kraft dispersível é uma inovação na categoria, além de ser sustentável. Segundo Lizandra Peixoto, especialista em insumos da Votorantim Cimentos, a embalagem inteira pode ser integrada ao processo da preparação do concreto, agilizando a produção com o uso direto na betoneira de eixo horizontal. “Oferece facilidade de manuseio, maior produtividade e não gera resíduos no meio ambiente”, destaca.

 

A linha de argamassas da Votorantim Cimentos também ganhou uma nova embalagem monomaterial feita 100% de papel, com uma resina barreira à prova de umidade, que garante a proteção do produto. “Retiramos a película plástica da embalagem anterior que fazia essa função de proteção. A nova sacaria facilita a reciclagem”, afirma.

 

O papel tem uma função importante no compromisso de sustentabilidade do Grupo Boticário. “Além de ser biodegradável, a embalagem de papelcartão apresenta o segundo maior índice de reciclagem, protege o produto e promove a comunicação com os consumidores”, afirma Franciele Saorin, especialista em desenvolvimento de embalagem do Grupo Boticário.

 

O papel é essencial para trazer a estratégia de sustentabilidade para as embalagens da Johnson & Johnson. “O material oferece vantagens principalmente no final da cadeia em relação a outros materiais. A gente queria ir além, não somente ter apelo ambiental, mas social”, afirma Lucas Piquini, coordenador de embalagens da Johnson & Johnson. Em parcerias com cooperativas de reciclagem e outras empresas, a Johnson & Johnson ofereceu melhores condições de trabalho, além de equipamentos e segurança. “Esse trabalho nos permitiu conseguir separar melhor os materiais e fibras de maior qualidade”.

 

O ponta-pé inicial para o uso de conteúdo reciclado nas embalagens nasceu com Band-Aid que tem 30% de papelcartão reciclado. O projeto foi implementado no Brasil e nos Estados Unidos, maior mercado de curativos do mundo.

 

A gravação completa do Webinar Por que Embalagens de Papel e Papelcartão está disponível para quem não conseguiu assistir ao vivo. Basta fazer a inscrição neste link: http://www.institutodeembalagens.com.br/lp/webinar-pc/

 

 

Lançamento do livro bilíngue Embalagens de Papel e Papelcartão

Durante o webinar foi lançado o novo livro bilíngue (português-inglês) do Instituto de Embalagens, Embalagens de Papel e Papelcartão, que pertence à coleção Better Packaging Better World. A vigésima publicação chega ao mercado, renovando o compromisso do Instituto de Embalagens de difundir o conhecimento sobre embalagens para mais profissionais, com versões também em e-book e audiobook.

 

“Seguimos firmes com o propósito de promover o desenvolvimento de embalagens melhores para um mundo melhor através do conhecimento. Estamos atuando com ensino e pesquisa desde 2005 e mais de 185 mil livros entregues”, afirma Assunta Napolitano Camilo, diretora do Instituto de Embalagens.

 

“A publicação do livro Embalagens de Papel e Papelcartão traz conteúdo super relevante para a indústria e desenvolvedores de embalagens, servindo como guia importante para os profissionais do setor. Principalmente porque temos pouca literatura técnica em língua portuguesa”, salienta Guilherme Melhado, diretor comercial da unidade de papel da Suzano.

O livro foi patrocinado pela Actega, Bobst, Clube da Embalagem, Fedrigoni Brasil Papéis, FuturePack, Ibema, Imballaggio, KHS, Klabin, Kodak, MD Papéis, Papirus, Sinpapel e Suzano. Tem apoio especial da Antilhas, Cosgraf, Embalagens Santa Inês, Illig, Macron, Multivac, Plastifama e Passalacqua Papéis.

 

Livro bilíngue Embalagem de papel e papelcartão – Paper & Paperboard Packaging

Instituto de Embalagens
Lançamento virtual – 14 de julho de 2021
Edição Impressa R$ 180,00 | E-book R$90,00 | audiobook R$70,00
https://betterpackagingbetterworld.com/pt/

 

Sobre o Instituto de Embalagens

Fundado em 2005, o Instituto de Embalagens tem o objetivo de levar conhecimento para o setor de embalagens, visando o seu avanço e crescimento. O trabalho consiste na coordenação e realização de cursos, encontros, treinamentos e publicações técnicas.

 

Desde a criação do Kit de Referências de Embalagens, primeiro material didático do Instituto de Embalagens, a entidade já publicou 20 livros e realizou 93 cursos e 131 eventos, com a participação de mais de 13.478 mil profissionais.

 

A crença do Instituto de Embalagens é que melhores embalagens promovem um mundo melhor.