2 de outubro de 2020

A pandemia do Covid-19 impulsionou a demanda de embalagens de alimentos e produtos de higiene e limpeza. Ela também mudou a percepção dos consumidores em relação à embalagem plástica, ressaltando os seus atributos mais importantes de proteção e segurança alimentar. “A característica de hermeticidade foi muito valorizada pelos consumidores que passaram a higienizar as embalagens plásticas de alimentos. Assim como a maior vida de prateleira dos produtos que permite às pessoas não ter que voltar tantas vezes ao supermercado para fazer compras”, explica Daniella Souza, vice-presidente do negócio de embalagens e plásticos de especialidades da Dow na América Latina. Ela ressalta: “Houve uma mudança de percepção positiva da embalagem plástica, mas a circularidade do plástico é nossa responsabilidade”.
As metas ambientais globais da Dow são baseadas em três pilares. A primeira é a eliminação de 1 milhão de toneladas de plásticos até 2035. A segunda é o desenvolvimento de resinas que tornem as embalagens 100% recicláveis e reutilizáveis até 2035. A terceira é ser carbono neutro até 2050.
Para atingir a meta de tirar resíduo do meio ambiente, conta Daniella, a Dow está desenvolvendo resinas PCR (pós-consumo) para atender demandas de alto valor, ou seja, para o mesmo tipo de aplicação. Essa iniciativa já acontece no Brasil em parceria com a Boomera, cujo lançamento da resina PCR de PE será anunciado no dia 21 de outubro, às 14h30, no linkedin do Dow Packaging. “Esse novo produto começou a ser desenvolvido há um ano e meio”, revela.
A companhia também desenvolve projetos de resina PCR no México, na Colômbia e na Argentina. Em cada um desses países a empresa trabalha com um parceiro diferente. No México, a resina PCR é utilizada na pavimentação de rodovias e na Argentina em paletes. “O Pack Studios é um braço importante para o desenvolvimento de novos produtos e aberto para os nossos clientes. Além disso, a Dow também tem uma recicladora que permite a gente aprender o que pode ser reciclado e como chegar a melhor formulação para oferecer as mesmas propriedades da resina virgem”, explica.
Resultado dos investimentos em inovação, a Dow desenvolveu resinas que permitem o desenvolvimento de embalagens monomateriais e 100% recicladas. Daniella conta que elas devem chegar em breve ao mercado nas categorias de pet food, detergente em pó, cuidados pessoais, tintas e alimentos. “Estamos comprometidos com a sustentabilidade. O futuro é reciclável e reciclado”, afirma.
A entrevista completa com Daniella Souza, vice-presidente do negócio de embalagens e plásticos de especialidades da Dow na América Latina pode ser assistida em nosso canal no YouTube.