6 de novembro de 2019

Reafirmando seu compromisso com a sustentabilidade, O Boticário desenvolveu um processo inédito na América Latina para a reciclagem de tampas de perfumaria produzidas com SURLYN™. Por ter uma grande complexidade, essa matéria-prima, apesar de ser reciclável em outras categorias, na cosmética até então não era viável. Agora, as tampas podem ser recolhidas depois do consumo, separadas por cooperativas de reciclagem e, por fim, retornadas ao consumidor em novos produtos — dentro do processo de Logística Reversa.

 

O SURLYN™ é a resina utilizada em tampas de perfumaria. Sua maior propriedade comercial é a transparência, que premiuniza as embalagens, além da versatilidade de design e alta resistência química. Segundo dados da Euromonitor International, o mercado de beleza e cuidados pessoais teve uma alta de 1,53%.  Na categoria de perfumaria, a Abihpec destaca o pulo de 8,1% nas vendas dos fabricantes em 2018 e estima que, para 2019, o crescimento em vendas seja de 4,1%, a R$ 50,43 bilhões.

 

Por isso, o Grupo Boticário e todas as marcas que abrange – O Boticário; Eudora; quem disse, berenice?; The Beauty Box; Multi B e Vult, que têm o meio ambiente como um dos seus principais pilares, entendeu a importância de olhar para esse novo mercado e criar essa solução. Além de permitir o retorno sustentável das embalagens que vêm dos consumidores (PCR – pós consumo), o novo processo de reciclagem também reaproveita os rejeitos de SURLYN™ que são descartados em processos industriais (PIR – pós industrial).

 

“O desenvolvimento dessa tecnologia, que por meio da reciclagem inovadora proposta pelo Grupo Boticário causa pouco impacto na coloração das novas tampas, faz com que esses materiais (pós consumo e industriais) tornem-se novas peças para as perfumarias comercializadas pelo Grupo”, afirma Eduardo Fonseca, Diretor de Assuntos Institucionais do Grupo Boticário.

 

O Boti Recicla, por exemplo, é o maior programa de logística reversa do país, permitindo que consumidores retornem suas embalagens nos mais de 4 mil pontos de venda espalhados pelo Brasil e é a primeira etapa para a consolidação desse novo processo.

 

“A partir daí, inicia-se a participação das cooperativas, que separam as tampas recolhidas dos consumidores e ganham também um novo mercado, já que esses itens passam agora a ter um valor comercial e criam novas demandas. O terceiro passo é encaminhar todo esse material para a empresa de reciclagem Wise. É nessa etapa que o material descartado inicia o processo de recuperação com a lavagem, moagem, extrusão, dando origem aos pellets do SURLYN™ reciclado”, explica Alexandre Bouza, Head do Boticário.

 

Por fim, o material é encaminhado para a Aptar, empresa que produz as bombas e tampas dos produtos do Grupo Boticário, que passa a utilizar a resina reciclada em sua produção — retornando, enfim, para os consumidores.

Fonte: Oriba Comunicação