1 de fevereiro de 2021

A Nestlé acaba de lançar uma iniciativa que concilia a reciclagem de embalagens laminadas de chocolates e biscoitos com o repasse de recursos a entidade sociais. Desenvolvido em parceria com a TerraCycle, o programa de reciclagem inclusiva envolve capacitação de cooperativas de catadores e o engajamento de consumidores para a correta destinação e reaproveitamento das embalagens de filme plástico metalizado conhecido na indústria como BOPP (polipropileno biorientado).
Além de estimular o reaproveitamento das embalagens, a iniciativa também permite fomentar a cadeia de reciclagem do material, viabilizando que resíduos virem novamente matéria-prima para novos itens. A parceria da Nestlé com a Terracycle compreende ainda a capacitação de cooperativas em São Paulo, que passam a enxergar valor na reciclagem das embalagens flexíveis, da separação à destinação pós-triagem. “A iniciativa que insere as marcas de chocolates e biscoitos da Nestlé na estratégia de economia circular gera uma solução tangível para uma embalagem ser reciclada, desenvolve e impulsiona a cadeia de reciclagem, além de possuir aspecto social ao gerar valor para instituições sem fins lucrativos e escolas públicas”, diz Bárbara Sapunar, Head de CSV (Criação de Valor Compartilhado) da Nestlé Brasil.
A iniciativa de logística reversa, além de viabilizar a reciclagem das embalagens de biscoitos e chocolates de qualquer marca, também aceitará outros tipos de produtos que utilizam o mesmo plástico metalizado, como salgadinhos, misturas para bolo, barrinhas de cereal e ovos de Páscoa, de qualquer tamanho. As embalagens devem ser armazenadas pelos consumidores em uma caixa que pode ser postada em agência dos Correios sem qualquer custo. É preciso fazer um cadastro no site da iniciativa e imprimir a etiqueta própria para a postagem, que já está com o envio pago. A cada 1 kg de embalagens enviadas, o participante acumula 300 pontos que equivalem a R﹩ 3. Esse valor é trocado por doações para instituições sociais ou escolas públicas escolhidas pelo próprio consumidor. A ação foi pensada de modo a reforçar a cadeia de reciclagem e que cooperativas, entidades sem fins lucrativos e escolas públicas sejam beneficiadas com a cadeia de reciclagem.
As embalagens vazias são destinadas às cooperativas parceiras, seguindo para o processo em que a matéria-prima obtida se transforma em novos itens como vasos de planta, baldes, lixeiras, pás, cones de trânsito e bancos, entre outros.
Além da iniciativa de reciclagem, inserida dentro da jornada da Nestlé para um futuro mais sustentável, as caixas de bombom especialidades Nestlé terão o filme plástico externo retirado. Com essa mudança, a companhia deixa de usar mais de 450 toneladas/ano de plástico. Alguns dos bombons individuais que compõem a caixa também tiveram suas embalagens repensadas: agora chegam ao consumidor com envoltórios herméticos, 100% prontos para serem recicláveis, com total selagem interior, e que garantem a qualidade do produto já tão reconhecida.
A Nestlé assumiu o compromisso global de tornar 100% de suas embalagens recicláveis ou reutilizáveis até 2025. Atualmente, 95% embalagens no Brasil já são desenhadas para serem recicladas ou reutilizadas, considerando materiais como papel e papelão, vidro, metais e plásticos.
Iniciativa Re
O projeto de reciclagem de embalagens de chocolates e biscoitos, assim como as reduções de plástico na produção já realizadas, estão inseridos na Iniciativa RE (REduzir, REpensar, REcriar), lançada pela Nestlé Brasil no final de 2019, que traz mais transparência às ações que a companhia vem realizando em suas operações nos últimos anos em busca de maior eficiência e de maior sustentabilidade na produção e nas embalagens, tendo também o grande papel de educar e abrir uma plataforma de diálogo com os consumidores, trazendo mais conscientização e ainda mais apoio ao desenvolvimento da cadeia de reciclagem e economia circular. Saiba mais: www.nestle.com.br/re.

Fonte: FSB Comunicação