7 de junho de 2021

Problemas graves no meio ambiente, como a escassez de água e a poluição do ar, por exemplo, chamam atenção e despertam a necessidade de estabelecer o consumo consciente e o desenvolvimento sustentável, para mostrar como algumas ações do homem interferem e atingem o planeta de forma catastrófica e irreversível. O Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 5 de junho, traz consciência sobre o que está acontecendo no mundo e qual é a sua verdadeira situação em relação aos problemas ambientais, não só para a população, mas também para as instituições presentes nos países.
Com o intuito de apoiar o equilíbrio ambiental e mostrar as visões diante dos aspectos voltados ao meio ambiente e à sociedade brasileira, muitas empresas estão adotando práticas ambientais, sociais e de governança, mais conhecidas pela sigla ESG (Environmental, social and corporate governance). “Cuidar do meio ambiente, ter responsabilidade social e adotar melhores práticas de governança são questões que a Gazin tem como compromisso e prioridade. São práticas que a empresa considera importantes, já que aqui a sustentabilidade também é tratada como uma estratégia de negócio”, explica Caio Gazin, CEO da Gazin Semijoias, marca de acessórios femininos que adota muitas dessas práticas ambientais e que acabou de lançar o seu modelo de franquias, com foco no home based, uma ótima oportunidade para quem quer começar o seu próprio negócio, mesmo em épocas de crise, com investimento inicial acessível.
A empresa, fundada em Limeira, interior de São Paulo, está sempre em constante evolução quando se trata de questões relacionadas à sustentabilidade. “Na Gazin, todas as peças que não são vendidas, são reutilizadas em novas coleções, aproveitando, assim, a matéria prima dos produtos”, explica Caio. Já as embalagens plásticas das semijoias estão sendo substituídas por outro material e um novo processo de embalar as peças está em processo de criação, a fim de reduzir a quantidade de plástico usada no dia a dia. “Com essa mudança, a empresa deixa de usar mais de 250 mil saquinhos plásticos por mês e contribui para a não agressão ao meio ambiente”, completa.
A fábrica da Gazin, também conta com um regenerador de água, que ajudou a diminuir consideravelmente o consumo dentro da empresa, reduzindo o gasto de 50 mil litros por semana para 5 mil litros. “Outro ponto que vale ressaltar é que, mesmo não sendo obrigatório por lei, fazemos a lavagem dos gases que são emitidos de dentro da indústria, para devolvê-los ao meio ambiente”, reverbera Caio. “Além disso, a empresa conta com uma estação de tratamento, onde cuidamos de toda água com impurezas que vem da produção de semijoias. Em grandes tanques, essas impurezas são decantadas e, com isso, a água é liberada no esgoto, para o meio ambiente, de uma forma limpa e sem causar danos a ninguém”, finaliza o CEO.
Fonte: Agência Brands