5 de agosto de 2019

Pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgada na quinta-feira (1º), apontou queda de 0,6% na produção industrial em junho ante maio, registrando o segundo mês seguido de contração do setor. Mas a instabilidade econômica pela qual o país atravessa não tem abalado empresários, que permanecem investindo nos negócios para aumentar a atratividade e driblar a crise.

A Mazurky, por exemplo, empresa de embalagens de papelão ondulado, de São Bernardo do Campo (SP), vem desempenhando ações cujos resultados estão na contramão das estatísticas de retração. “Estamos investindo em novas tecnologias, capacitação dos colaboradores e treinamentos com o objetivo de fazer mais com menos”, fala o diretor da Mazurky, Eduardo Mazurkyewistz.  Com isso, a empresa alcançou um crescimento de 14% na produção industrial em julho, comparado ao mês anterior. Na comparação julho deste ano com o mesmo período do ano passado, o aumento foi de 11,8%.

Uma das iniciativas em desenvolvimento pela Mazurky é a implementação da Indústria 4.0, em parceria com o SENAI São Paulo (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). Com isso, a empresa torna-se pioneira no setor de indústrias de embalagens de papelão ondulado a aderir à nova tendência, que pode aumentar a produtividade em até 40%, antes mesmo da conclusão da implantação. “Estamos preparando nossa empresa para a retomada da economia, pois entendemos que a área é cíclica e a fase de baixa tende a acabar com um viés de alta em um curto prazo”, salienta Mazurkyewistz.

Confiança

O otimismo demonstrado pelo diretor da Mazurky segue o sentimento do empresariado, como mostrou a última pesquisa da FGV (Fundação Getúlio Vargas). A confiança do empresário brasileiro subiu 0,9 ponto no mês de julho aos 93,9 pontos. Essa foi a segunda alta seguida do índice, que alcançou sua maior pontuação desde março (94,6 pontos). Segundo especialistas, o positivismo foi impulsionado, principalmente, pela aprovação da reforma da Previdência em primeiro turno na Câmara dos Deputados.

Outro ponto destacado é a influência de medidas de estímulo à economia como a liberação do saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e do Fundo PIS/Pasep. “As reformas e a recuperação econômica podem levar ao crescimento da produção ao longo do próximo ano”, acredita Mazurkyewistz.

Fonte: Predicado Comunicação