18 de junho de 2020

Em momentos de incertezas políticas e econômicas, o ser humano tende a se isolar em casa. A pandemia do coronavírus confinou milhares de pessoas e a cozinha virou o coração da casa. “Muita gente está se redescobrindo ou descobrindo na cozinha, trocando receitas com a família e os amigos. A comida é preparada em família. É a cozinha do afeto. Essa mudança de hábito do faça você mesmo veio para ficar”, afirma Jumar Pedreira, sócio-diretor da MFSP Marketing.

Com mais pessoas cozinhando em casa, o setor de embalagens tem oportunidade para atender novas demandas, segundo Pedreira, como por exemplo, o desenvolvimento de embalagens dosadoras que facilitem a dosagem dos produtos que são utilizados em receitas de bolos, pães.

Em contraponto a esta mudança de hábito dos consumidores de cozinhar em casa também aumentou o delivery de refeições prontas. “Também há grande oportunidade de desenvolvimento de embalagens para atender o delivery de comida pronta. Será que dá para fazer uma embalagem de pizza mais prática? É hora de repensar a cadeia de embalagens sob a perspectiva da economia circular para reduzir os resíduos?”, ressalta.

A pandemia também escancarou outra mudança no comportamento dos consumidores que já não são mais os mesmos em função da perda de renda. O trade down virou uma realidade entre os consumidores, especialmente os da classe D, que estão trocando marcas de alimentos ou substituindo por marcas próprias. “O setor de embalagens pode desenvolver alternativas mais baratas, tamanhos menores ou maiores, para atender as necessidades desses consumidores”, explica Pedreira.

A preocupação com a saúde também aumentou entre os consumidores. Os hábitos de higiene nunca foram tão importantes. “Lavar as mãos e lavar as embalagens dos alimentos antes de armazenar nos armários virou rotina na casa das pessoas. Ninguém quer comer um biscoito com sabor de álcool. Então, a embalagem precisa ser bem selada. Que embalagem vai facilitar a higienização? A embalagem ganhou uma função importante que vai além da proteção técnica. Ela, agora, tem a função de proteger a vida das pessoas”, destaca Pedreira. A indústria de embalagem, segundo ele, tem uma grande oportunidade de explorar a potencialidade mercadológica dessa tendência.

A entrevista completa do Jumar Pedreira pode ser acompanhada no canal do YouTube do Instituto de Embalagens.

O convidado da próxima live da série Embalagens em Pauta, no dia 23 de junho, às 19 horas, é Marco Lobo, coordenador e professor do Centro Universitário IESB, que vai falar sobre Como usar o Design Thinking no Desenvolvimento de Embalagens.  A transmissão ao vivo vai acontecer no perfil do Instagram do Instituto de Embalagens.