27 de fevereiro de 2019

O Painel de Feiras Internacionais realizado ontem, em São Paulo, pelo Instituto de Embalagens, reuniu aproximadamente 96 profissionais que atuam com embalagens.  O evento, o 110do Instituto de Embalagens, marca também o início da jornada de conhecimento sobre embalagens de 2019. “Nosso trabalho é fazer a diferença e entregar valor aos profissionais que estão em busca de atualização do conhecimento. É apoiar o mercado para que possam produzir embalagens melhores e promover um mundo melhor”, destacou Assunta Napolitano Camilo, diretora do Instituto de Embalagens.

 

Realizada a cada dois anos, a Sial Paris é uma referência no lançamento de tendências e inovações do setor de alimentos e bebidas. Segundo Carol Teixeira, professora e coautora dos livros do Instituto de Embalagens, a principal tendência apontada pela feira é a valorização do sabor dos alimentos e, com isso, a ampliação da experiência de consumo. “A trufa foi o grande ingrediente, que saiu da categoria gourmet para os produtos do dia a dia, como por exemplo, os chips de batata com trufa e sardinhas com trufa”, revela.

 

A conveniência é uma tendência consolidada. A clássica combinação de água com limão ganhou uma versão porcionada pronta para o consumo. A novidade é da Polenghi al Limone del Mattino. “As refeições preparadas na própria embalagem também continuam em alta”, afirma Carol.

 

O crescimento das embalagens flexíveis continua notável, com presença em todos os mercados, como mistura pronta para bolo em stand-up pouches para micro-ondas, papinhas de frutas e legumes em stand-up pouches com tampa e transparência, mojitos em stand-up pouches de até 3 litros. Segundo Assunta, esse cenário é propiciado pelas suas vantagens, como leveza, ticket acessível e facilidade de armazenamento.  “A colher de mel, da Balalisi, embalada em stick pack é uma inovação conveniente e prática para o consumo on-the-go”, destaca.

 

Ainda na França, o Salon Du Chocolate, homenageou o Japão, mas a feira celebra o chocolate do mundo inteiro. O Brasil marcou presença com uma delegação forte, especialmente da Bahia e do Pará. Segundo Jumar Pedreira, diretor da MFSP Marketing, é uma feira criativa que valoriza o design da embalagem. “Há uma tendência de explorar a localidade, como por exemplo, a identidade do metrô de Paris, que foi estampada nas embalagens dos chocolates”, salienta. Segundo ele, 95% dos chocolates são apresentados em cartuchos de cartão e flow packs (embalagem primária).

 

A all4Pack Paris reuniu 1300 expositores e 79 mil profissionais do setor de embalagens. As soluções sustentáveis seguem ganhando importância na indústria. Edenilson Santos, designer do Instituto de Embalagens, destacou o lançamento da Multivac, uma nova solução de embalagem para diminuir o uso do plástico. Trata-se da bandeja de cartão Multivac Paperboard para embalar produtos frescos e in natura.

 

A sofisticação das embalagens também foi destaque na all4Pack. A Bruni Glass apresentou a garrafa para espumante Audrey, que foi inspirada na moda dos vestidos de festa dos anos 50. “O shape lembra uma delicada silhueta feminina, o fundo é como uma parte da saia. Os três níveis mostram o movimento oscilante de um vestido de noite durante a dança, sensata e sedutora ao mesmo tempo. O nome Audrey significa elegância e autoridade que o design da garrafa representa”, explica o designer.

 

De Paris para os Estados Unidos, as tendências e os desafios apresentados pela Pack Expo International e a Healthcare Packaging. Antonio Andrade, professor e coautor dos livros do Instituto de Embalagens, visitou a feira e destacou o crescimento do e-commerce e como isso está impulsionando a mudança em todos os estágios de fabricação: design de produto, embalagem, manuseio, envase e transporte, até a entrega ao consumidor. “As empresas estão oferecendo abordagens inovadoras, como pequenos toques na caixa, embrulhos de presente, mensagens personalizadas ou amostras, garantindo que cada item enviado seja protegido contra roubo e danos. Além disso, as embalagens oferecem fácil abertura e são recicláveis ou reutilizáveis”.

 

O revival do vidro

A embalagem de vidro está reconquistando o seu espaço na mesa e nas gôndolas. Reinaldo Kuhl, gerente de Marketing Americas South da O-I, afirma que os consumidores estão valorizando, cada vez mais, a transparência, lendo a data de validade e a tabela nutricional dos alimentos. “O vidro tem tudo a ver com esse posicionamento, pois sempre foi transparente e preserva o sabor natural dos produtos”.  O crescimento dos produtos orgânicos, vegetarianos, veganos, flexitarianos, alimentos free from, segundo ele, tem impulsionado o revival do vidro, que tem uma conexão com o conceito natural.

 

As inovações nos formatos e na decoração das embalagens de vidro da Owens-Illinois estão presentes em diferentes categorias de bebidas alcoólicas, bebidas não-alcóolicas e alimentos. Kuhl dá o exemplo do produto gourmet crisps Mis Croc, grãos salgados e assados de diversos sabores, apresentado em garrafinhas.

 

Pontos de venda

Anualmente, o Instituto de Embalagens visita os pontos de vendas para atualizar o seu conhecimento sobre embalagem. No ano passado, os profissionais da entidade visitaram as gôndolas de supermercados da Alemanha, França, Estados Unidos, Rússia e Ucrânia.

 

Já imaginou vidro na categoria de pintura de móveis? Na França, o Castorama, um ponto de venda especializado na comercialização de produtos para a casa, comercializa  um produto de pintura para retoque de móveis em potes de vidro.  No Auchan, a marca própria está muito presente e com design inovador na estrutura e no gráfico.

 

Sofisticação na categoria de produto de limpeza. O amaciante Lenor, da Procter & Gamble, é apresentado em uma embalagem diferenciada no formato e sleeve perolado.

 

Nos Estados Unidos, as prateleiras reforçam as tendências vistas na Sial e na all4Pack. Um exemplo disso é a embalagem termoformada, com três compartimentos separados, para o acondicionamento de proteínas (amendoim, carne desidratada e sementes de girassol) que lembra o formato de um “alteres”. Como a embalagem é lacrada com filme flexível na parte de cima, o consumidor pode abrir por partes, servindo-se de um dos produtos, sem comprometer os demais.

 

Na categoria de pet foods, a conveniência nas embalagens não foi esquecida. A Sheba desenvolveu uma embalagem plástica que pode ser partida ao meio, já que muitas vezes, os bichanos são pequenos ou só comem pequenas porções de cada vez. Além disso, o pote pode ser o pratinho deles, reduzindo serviço.

 

Na Alemanha, na Biomarkt, ponto de venda de produtos naturais e veganos, os consumidores têm a disposição, por exemplo, máscara de ovo para o rosto, que é comercializada em embalagens flexíveis. Na categoria de açaí, a marca escolheu o vidro para vender o seu produto, com compartimento na parte superior, que acondiciona a granola.

 

Na Ucrânia, as embalagens cartonadas assépticas dominam a categoria de leite, porém em versões de apenas 900 ml. Uma adequação ao ticket dos consumidores. Na Rússia, a geléia de cereja é apresentada em  uma embalagem que o formato da boneca Matriosca, tradicional brinquedo do país.