14 de outubro de 2020

A sustentabilidade é um pilar estratégico da Tetra Pak Brasil há mais de 20 anos. Em 1997, a companhia conquistou a certificação ambiental ISO 14001 em reconhecimento a sua gestão sustentável para proteção do meio ambiente. “Esse trabalho começou dentro das nossas fábricas. Depois foi expandido para os fornecedores, clientes e para a cadeia de pós-consumo. Hoje, a sustentabilidade é praticada em toda nossa cadeia produtiva”, afirma Valéria Michel, diretora de sustentabilidade da Tetra Pak Brasil.

A caixinha é composta de 75% papel, 20% plástico e 5% alumínio. “Não é porque a embalagem tem três materiais que ela é difícil de reciclar. Hoje temos uma cadeia recicladora estabelecida no Brasil para o escoamento das embalagens e tecnologia de reciclagem”, ressalta. O grande desafio, segundo a executiva, é a coleta seletiva em casa. “Nos últimos quatro anos, a Tetra Pak Brasil intensificou as ações de conscientização do consumidor final para incentivar a sua participação”.

Há outros desafios para aumentar a reciclagem da caixinha. “Ainda existem muitos municípios que não têm estrutura para coleta seletiva, além do valor do produto no mercado”. Ela continua: “Nós temos conseguido agregar valor ao produto final. Tem reciclador produzindo poltronas, com design, feitas com caixinhas”.

No ano passado, a Tetra Pak Brasil reciclou 81 mil toneladas de embalagens pós-consumo, o equivalente a 31.5% de tudo o que a empresa coloca no mercado. “A cada ano a gente tem aumentando a taxa de reciclagem. O nosso objetivo é chegar o mais próximo possível do índice de reciclagem do papelão ondulado”, revela Valéria.

A entrevista completa com Valéria Michel, diretora de sustentabilidade da Tetra Pak Brasil pode ser assistida no nosso canal no YouTube.