25 de junho de 2020

O Design Thinking é a metodologia do design que tem como foco o ser humano. A gestão do design é fundamental para inovar no desenvolvimento de embalagens e promover uma experiência melhor aos consumidores. “Nesta pandemia do coronavírus, por exemplo, é preciso avaliar as mudanças de hábitos de consumo. O crescimento do delivery abre oportunidades de mercado para o setor de embalagens. Será que a embalagem pode ser feita com novos materiais, materiais antivirais, com tamanhos menores e compartimentos ou pensada para o transporte de longa distância? Design Thinking é inteligência competitiva”, explica Marco Lobo, coordenador de projetos do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos – CGEE – MCTIC.

 

A pandemia é um ponto de mutação importante para empresa vender. O comércio eletrônico já vinha crescendo e o coronavírus acelerou essa expansão. “Quando a gente pensa em delivery, logo o que vem à cabeça, é se o produto chegou bem. Esse bem tem a ver com a embalagem. A embalagem tem que impressionar pelo visual, cheiro, textura. Tudo isso tem que ser estudado porque o comércio online veio para ficar”, afirma.

 

O redesign de embalagens nem sempre é vitorioso nas gôndolas. Lobo explica: “Isso se deve porque a marca não conversa com os seus consumidores. Em contraponto, os consumidores também não são fiéis às marcas. Eles são voláteis e como atendê-los? É preciso entender os consumidores”. Há um lastro grande para desenvolver novas soluções de embalagens. “Hoje existem mais de 1000 canais no YouTube sobre o ato de abrir uma embalagem. Isso mostra que existe uma gama enorme de pessoas que têm um laço com o produto pela embalagem”, destaca Lobo. Ele acrescenta: “A embalagem é o momento de experiência única com o consumidor”.

 

O Design Thinking para a sustentabilidade das embalagens pode ser usado através de soluções baseadas na natureza. “A produção das embalagens sob a perspectiva da economia circular pode ser repensada através da biomimética. Temos muitos pesquisadores nas universidades que poderiam contribuir para o desenvolvimento de embalagens mais sustentáveis. Isto é investimento, não é custo”.

 

A metodologia do Design Thinking já é utilizada pelas grandes empresas. Mas, as microempresas e pequenas empresas também podem se beneficiar do processo. “Qualquer pessoa da empresa e não precisa ser um designer pode aprender a metodologia e replicar o conhecimento para incorporar esse processo. A empresa vai crescer através de novas ideias”, salienta. Ele continua: “Podemos melhorar muito. Os brasileiros têm uma criatividade nata. A criatividade tem que ser normalizada na indústria para vislumbrar o futuro”.

 

A entrevista completa está disponível nosso canal do YouTube.

 

Na próxima terça-feira (30/06), a Live Embalagens em Pauta recebe Hugo Magalhães, Gerente de Marketing e Novos Negócios da Ball para a América do Sul, que vai falar sobre as novas aplicações para as latas de alumínio.