19 de novembro de 2018

A Verde Campo está inovando o mercado de alimentos e propondo uma nova forma de produzir lácteos: sem conservantes, sem corantes e aromas artificiais. A empresa investiu R$ 50 milhões no projeto para expandir, modernizar e tornar a fábrica, localizada em Lavras (MG), apta à produção de queijos e iogurtes sem aditivos artificiais. O compromisso é reformular todos os produtos até o fim de 2019. Os iogurtes, incluindo as linhas tradicional, LacFree e Natural Whey, serão os primeiros a saírem da fábrica seguindo esta proposta.
“Estamos inaugurando uma nova fase ao eliminar conservantes, corantes e aromas artificiais não apenas da nossa produção, mas de toda nossa cadeia produtiva. Somos a primeira indústria brasileira de lácteos com atuação nacional a assumir esse compromisso para todas as linhas”, afirma Alessandro Rios, presidente da Verde Campo, que ressalta ainda a aposta em inovação. “Investimos em pesquisa e tecnologia para oferecer às pessoas alimentos apenas com ingredientes e processos de origem natural. Essa é uma mudança disruptiva para o mercado de lácteos no Brasil”.
Um dos desafios do projeto foi levar a mudança para além dos muros da fábrica. Verde Campo precisou envolver fornecedores de preparados de frutas, fermentos, adoçantes, corantes, entre outros ingredientes, para que eles fizessem parte dessa transformação. Nada que entra na elaboração dos produtos tem origem artificial.
Foi pelo leite que Verde Campo começou o processo. A empresa foi ao campo entender o que era preciso para melhorar seu produto. Certificou e capacitou produtores de mais de 500 fazendas para que fornecessem hoje um leite de altíssima qualidade. “Nosso processo não beneficiou apenas as fazendas que abastecem a nossa produção, que hoje processa 3,6 milhões de litros por mês. Aprimoramos as relações entre indústria e produtores. Isso garantiu a melhora da qualidade de toda a bacia leiteira da região, que cresce acima da média do estado”, diz Rios, ressaltando que o leite utilizado por Verde Campo é duas vezes superior à média europeia. Assista aqui um vídeo sobre o leite de Verde Campo.
Dentro da fábrica, além da mudança física, a equipe de inovação trabalhou com os fornecedores dos ingredientes para desenvolver e garantir insumos naturais. As receitas passam a ter extrato de beterraba ou cenoura roxa como corante; goma guar, extraída de um tipo de feijão; e a pectina, que vem da casca da laranja, como espessante, além do suco de limão como acidulante. “Fomos em busca de soluções para reformular nossos produtos com a preocupação de manter o sabor e a qualidade que os consumidores estão acostumados”, afirma Rios.
NOVA MARCA
Para comunicar essa transformação na empresa, a Verde Campo redesenhou sua marca e assumiu uma nova assinatura: “Nada Além da Natureza”, que representa a busca por naturalidade dos ingredientes, o cuidado com a origem e um processo mais natural.
Todas as linhas de iogurtes Verde Campo já chegam às prateleiras com novas embalagens e logotipo, além da assinatura “Nada Além da Natureza”. Os demais produtos da empresa recebem a nova identidade visual à medida que forem sendo reformulados.
O novo logotipo mantém uma folha como símbolo, remetendo à natureza, mas agora, em um tom mais escuro e vertical. A marca Verde Campo estará em destaque no centro das embalagens a fim de aumentar o reconhecimento de sua história. Com cores claras, as embalagens são mais limpas, simples, destacando os benefícios e funcionalidades dos produtos.
Fonte: Rede Comunicação de Resultado