12 de fevereiro de 2020

A produção física do setor de transformados plásticos recuou -1,6% em 2019, no comparativo com o ano anterior, segundo levantamento da ABIPLAST a partir dos dados divulgados nesta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com a Pesquisa Industrial Mensal (PIM-PF) referente a dezembro.

 

A retração deve-se, principalmente, à redução na produção de laminados, por conta de uma diminuição na produção de bens intermediários, bem como uma retração nos segmentos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos (-3,7%) e de produtos farmacêuticos (-3,7%).

 

No período, a produção de embalagens plásticas cresceu +2,2%, alinhada com o aumento da produção de setores como o alimentício (+1,6%) e o de bebidas (+4%). Já as importações do setor subiram +3,2% e as exportações +0,9%, resultando em um déficit da balança comercial +4,5% maior em peso, equivalente a 490 mil toneladas de transformados plásticos e US$ 2,5 bilhões.

 

Otimista com as mudanças previstas no início de 2019 – dentre elas a implementação de reformas como previdenciária, tributária e administrativa – e a consequente melhoria do cenário competitivo, o mercado reviu as expectativas ao longo do ano e a ABIPLAST rebaixou suas projeções em quatro ocasiões.

 

A percepção geral é de que os resultados foram tímidos e as esperadas reformas não avançaram. A própria reforma da previdência foi aprovada praticamente no final do ano passado.

 

Fonte: GBR Comunicação