6 de março de 2020

A SCHOTT AG, grupo internacional de tecnologia, encerrou o ano fiscal 2018/2019 com aumento de 5,1% em vendas no mundo, o que representa cerca de 2,2 bilhões de euros. Considerando os segmentos materiais de precisão, indústrias ópticas e eletrodomésticos, o resultado operacional (EBIT) atingiu 275 milhões de euros e o lucro líquido consolidado foi de 206 milhões de euros. No Brasil, as vendas da SCHOTT cresceram 9,7%.

“Apesar das dificuldades econômicas em todo o mundo, cumprimos nossas previsões e seguimos desenvolvendo negócios de forma positiva. Estamos satisfeitos com o nosso desempenho no ano fiscal de 2018/2019”, destaca o Dr. Frank Heinricht, Presidente do Conselho de Administração da SCHOTT AG.

Os investimentos realizados em ativos imobiliários, nas plantas e equipamentos, totalizaram 257 milhões de euros no exercício fiscal, representando aumento de 38% em relação ao ano anterior. Mais da metade desse investimento foi destinada a unidades estabelecidas na Alemanha. Entre outros projetos, foi concluída a expansão do Centro de Competência Vitrocerâmica na planta de Mainz para atender à alta demanda por vitrocerâmica ZERODUR®. A expansão da capacidade de produção de uma planta existente na Índia e a construção de uma nova planta na China representam os maiores investimentos estrangeiros do grupo. O Brasil também foi alvo de investimentos realizados pelo grupo no ano fiscal 2018/2019, no valor de 12,5 milhões de euros com foco na produção de tubos farmacêuticos pela planta localizada no Rio de Janeiro.

Na apresentação dos resultados anuais, o CFO, Dr. Jens Schulte, destacou que o índice de patrimônio permaneceu em 32%. “A empresa está, portanto, em uma forte posição financeira e possui escopo suficiente para alcançar o crescimento orgânico e fazer aquisições”, observou. O número de funcionários da SCHOTT AG aumentou para 16.200, dos quais 5.800 estão baseados na Alemanha. No Brasil, o grupo conta com 1.000 colaboradores distribuídos entre as três plantas de Itupeva/SP, Indaiatuba/SP e Rio de Janeiro/RJ.

A área de tubos de vidro especiais para embalagens farmacêuticas – que engloba ampolas, frascos, seringas e carpules – foi um dos destaques do grupo. Por outro lado, a difícil situação na indústria automotiva acabou impactando a divisão de embalagens eletrônicas. Ao mesmo tempo, direção autônoma e eletromobilidade oferecem novas oportunidades para óculos especiais.

Na área de M&A, a aquisição da empresa australiana MINIFAB, especializada no desenvolvimento e fabricação de produtos de diagnóstico microfluídicos, agregou soluções de polímero ao portfólio do grupo, expandindo as possibilidades de negócios.

Perspectivas para o ano fiscal de 2019/2020

A SCHOTT espera que as vendas aumentem entre 3% e 6% para o ano fiscal 2019/2020, com destaque para as demandas por vidro especial para embalagens farmacêuticas e vidro ultrafino, voltado para dispositivos móveis. O grupo planeja ainda investir 320 milhões de euros, o valor mais alto de sua história, com foco na área de embalagens farmacêuticas na China, Índia e na unidade de Müllheim, na Alemanha, onde a empresa também fará investimento na fabricação de vidro especial nas plantas de Mainz e Jena.

Ao mesmo tempo, a SCHOTT irá intensificar seus esforços para proteger o meio ambiente e o clima. “Com o objetivo de promover um crescimento sustentável, estabelecemos uma meta clara: nos tornar uma empresa neutra em termos de clima. Durante este ano fiscal, definiremos o caminho para isso e tomaremos as medidas apropriadas de maneira consistente”, afirma o Dr. Heinricht.

 

Fonte: ViaNews