30 de novembro de 2018

Pesquisa divulgada pela consultoria Deloitte em novembro revelou que 97% dos empresários brasileiros pretendem fazer algum investimento em 2019. Destes, 30% querem substituir e/ou adquirir novas máquinas e equipamentos, e 13% pretendem ampliar o parque fabril.
Mostra, também, que 46% deles têm expectativa de aumentar os investimentos em equipamentos e 42%, em mantê-los no mesmo patamar de 2018 (foram entrevistados representantes de 826 organizações de 32 segmentos econômicos que, juntos, tiveram receita de R$ 2,8 trilhões, ou 43% do PIB nacional).
Este cenário confirma o posicionamento da Plástico Brasil 2019 – Feira Internacional do Plástico e da Borracha (de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo) como a principal oportunidade de negócios do ano para os transformadores e fabricantes que precisam ampliar ou modernizar suas plantas fabris a fim de ganhar competitividade para atender o aumento da demanda que se anuncia.
Primeira feira do ano da indústria do plástico e da borracha, a Plástico Brasil cobre a cadeia completa do setor e será realizada no melhor momento, o primeiro trimestre, para os empresários colocarem em prática seus planos de investimento.
Num ambiente propício para realização de negócios, mais de 600 marcas nacionais e internacionais – de países como Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, México, Portugal, Turquia e Suíça – vão apresentar em primeira mão ao mercado brasileiro as mais modernas soluções em máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.
Setores
Setores que utilizam o plástico e a borracha de forma intensiva em seus processos e produtos vêm reagindo à retomada da economia e estão em linha com a expectativa positiva apontada na pesquisa da Deloitte.
O caso da indústria automobilística é o mais emblemático. O crescimento de 45% na produção de carros entre 2018 e 2022, previsto pela Anfavea neste ano, provavelmente será revisto tendo em vista a assinatura do decreto que regulamenta o programa automobilístico Rota 2030, em novembro.
Entre outros benefícios que aumentam a segurança do setor para fazer investimentos e gerar empregos, o Rota 2030 cria um incentivo fiscal de até R$ 2,1 bilhões por ano para que as montadoras invistam em tecnologia e desenvolvimento de produtos no País. Também reduz em até 3% o IPI de carros Flex e até 2% o dos demais veículos, em caso de cumprimento da melhora de eficiência dos automóveis em 11%, estabelecida pela nova política. As montadoras, por sua vez, deverão investir R$ 5 bilhões ao ano em pesquisas e desenvolvimento.
Outras indústrias caminham na mesma direção: eletrônicos e bens duráveis tem expectativa de aumentar a produção em 7% neste ano (fonte: Abinee); a de cosméticos prevê crescer 7,5% (fonte: Abihpec); a farmacêutica, entre 6,9% e 9,3% (fonte: Sindusfarma); e a de alimentos e bebidas, em torno de 3% (fonte: Abia).
“Confiamos que estas previsões otimistas irão se concretizar a partir de 2019 e entendemos a necessidade que a indústria terá de se preparar para o novo ciclo de desenvolvimento econômico. Estamos organizando a Plástico Brasil para que ela possa atender a esta necessidade em todas as pontas da cadeia, da matéria-prima à robótica, com os melhores produtos ofertados pelos melhores fornecedores do Brasil e do mundo”, reforça Liliane Bortoluci, diretora da Informa Exhibitions.
Para esta edição, são esperados 45 mil visitantes profissionais do Brasil e de outros 30 países. Junto às inovações apresentadas pelos expositores nos estandes, os visitantes terão acesso a uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita.
Ao lado dos negócios, conhecimento e relacionamento, a Sustentabilidade é um dos pilares da Plástico Brasil 2019. A feira vai destacar uma série de ações que vão não só colaborar com a preservação do meio ambiente, como também inspirar os transformadores e demais visitantes profissionais a replicarem tecnologias ambientalmente corretas em seus negócios.

Fonte: Primeira Página Assessoria de Comunicação e Eventos