1 de dezembro de 2021

A embalagem de vidro é a mais sustentável do planeta por ser a única que pode ser reutilizada, retornada, reciclada e transformada em uma nova sem nenhuma perda de matéria-prima e, ainda, gerando menor consumo de energia com menor emissão de resíduos e partículas de CO2. Por outro lado, atualmente no Brasil apenas 47% das embalagens de vidro são recicladas, de acordo com a Abividro (Associação Brasileira das Indústrias de Vidro).
Para ampliar a coleta e contribuir com a melhora do índice de reciclagem do material, a Owens Illinois – líder mundial na fabricação de embalagens de vidro e a maior recicladora do material no Brasil – em parceria com o Instituto Muda, acaba de instalar pontos de entrega voluntária apropriados para recolhimento de vidro em dois condomínios residenciais na cidade de São Paulo. A parceria tem previsão de duração de dois anos e, neste período, a expectativa é que sejam coletadas cerca de 15 toneladas de vidro.
A ação também tem por objetivo melhorar a conscientização do consumidor final em relação à logística reversa e rastreabilidade do vidro, disseminando informações sobre a responsabilidade da indústria em relação à destinação correta dos materiais. A Owens Illinois é uma empresa altamente comprometida com a sustentabilidade e a reciclagem do vidro, que tem como meta atingir 50% de uso de cacos como matéria-prima para a produção de novas embalagens até 2030.
De acordo com Morgana Correa, gerente Jurídica e de Relações Governamentais da O-I e líder do Comitê de Sustentabilidade da empresa na América do Sul, a sensibilização em relação à questão ambiental, relacionada ao descarte de resíduos recicláveis, é um ponto que deve ser bastante trabalhado. “Já há algum tempo assumimos a responsabilidade de investir em projetos que busquem promover a consciência ambiental na população por meio da reciclagem do vidro. Agora, com essa nova parceria, queremos mais uma vez levar conhecimento ao consumidor final das embalagens de vidro, para que ele saiba diferenciar e identificar quais são os materiais recicláveis, assim como ampliar a informação sobre coleta seletiva e a destinação correta de resíduos”, destaca a executiva.
O Instituto Muda, maior projeto do Grupo Muda tem como missão desenvolver práticas sustentáveis em condomínios por meio da gestão de resíduos, gerando impacto social positivo. Atualmente, em parceria com mais de 200 empresas, a instituição está presente em 500 condomínios e já treinou (educação ambiental) 250 mil moradores, funcionários e funcionárias do lar e coleta, aproximadamente, 500 toneladas por mês de materiais recicláveis que são 100% doados para cooperativas parceiras. “Além de ampliar a reciclagem de resíduos, trabalhamos para levar informação às pessoas. Por exemplo, muitos não sabem que é importante lavar os materiais recicláveis antes de descartar. A limpeza deve ser feita por três motivos: para evitar problemas com roedores e insetos nos condomínios; porque contribui com a operação e manuseio, ajudando os colaboradores que trabalham com esses materiais; e porque evita a contaminação e a desvalorização do material reciclável”, comenta Alexandre Furlan Braz, CEO do Instituto Muda. Para a higienização não é necessário usar detergente e grandes quantidades de água. O importante é retirar os restos de alimentos e bebidas das embalagens.
Importância do reaproveitamento de cacos de vidro
Cada tonelada de vidro reciclado gera economia de 2,9% no consumo de energia durante o processo produtivo. E, com 1 tonelada de caco, é possível reduzir a emissão de 0,50 tonelada de CO2. Outra vantagem é que cada 50 quilos de vidro reciclado reduz a ocupação de 0,04 m3 em aterros para resíduos sólidos.
Os cacos são utilizados no processo de fabricação com total aproveitamento na O-I, resultando em embalagens novas com as mesmas características de qualidade das produzidas a partir de matérias-primas virgens, sendo que cada quilo de caco utilizado na produção de novas embalagens substitui o equivalente a 1,2 quilo de matérias-primas virgens, proporcionando benefícios para o meio ambiente e a sociedade.
Fonte: Ketchum