31 de janeiro de 2020

No Brasil, cerca de 80% da produção de óleo de palma é destinada à indústria alimentícia, como matéria-prima para produtos de grande consumo, como biscoitos, sorvetes, bebidas lácteas, temperos e alimentos pré-fritos. Até 2023, de acordo a recente determinação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) — divulgada em dezembro de 2019 –, a indústria alimentícia terá o grande desafio de banir o uso de gordura trans de seus produtos. Para suprir essa demanda, hoje a Agropalma já oferece todo seu portifólio isento de gorduras parcialmente hidrogenadas.

“Os clientes que utilizam nossos produtos, independentemente da aplicação, já estão adequados à nova legislação. Nos próximos anos, a indústria precisará se adaptar às novas regras, trocando especificações, realizando ajustes em suas linhas e, muitas vezes, alterando o perfil sensorial de seus produtos. A Agropalma já está preparada para atender essa demanda e, inclusive, desenvolver novas soluções de acordo com as necessidades de cada segmento”, declara Isabel Manso, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da Agropalma.

A empresa está presente em todos os grandes segmentos do mercado alimentício, com mais de 30 produtos em seu portifólio, fornecendo óleo de palma para panificação, produtos lácteos (sorvetes, chantilly, bebidas e pré-misturas), frituras, confeitaria, culinários (temperos e caldos em cubo), além dos orgânicos, uma tendência no mercado. A Agropalma é a única produtora de gordura de palma, óleo de palmiste e oleína de palma orgânicos, no Brasil. A empresa tem focado também no setor vegano, onde a matriz da palma é um diferencial e boa alternativa para bebidas vegetais, queijos análogos e carnes veganas.

“Estamos sempre buscando superar as expectativas dos nossos clientes. Procuramos ouvir suas necessidades e desenvolver novos produtos para atender as demandas. Não pensamos apenas em cumprir a legislação, mas em oferecer um produto reconhecidamente benéfico, que não causa danos, sem gorduras trans. Visamos a segurança e a saúde do consumidor, além da questão de sustentabilidade, mantendo os atributos, a produtividade e a disponibilidade da matéria-prima”, afirma Isabel.

De acordo com a especialista, um dos setores que deve puxar o crescimento do consumo de óleo de palma nos próximos anos, devido à nova legislação para eliminação de gorduras trans, é o da indústria de recheios e cremes, como ganache, cremes de avelã e pastas de amendoim.

Food Service
A fritura é um dos principais processos para aplicação de óleo de palma e a Agropalma é pioneira no fornecimento desse produto. Amplamente utilizado no mundo para frituras, o óleo de palma é estável à oxidação e de fácil manuseio, além de deixar o alimento seco (não oleoso), crocante por fora e macio por dentro. No segmento de food service, a empresa tem como destaques as linhas Doratta Fry e Doratta Mix.

“O Doratta Mix foi desenvolvido especialmente para atender uma demanda do food service, que buscava o óleo líquido para fritura. Ele reúne a estabilidade da oleína de palma e a leveza e versatilidade do óleo de algodão, oferecendo melhor performance e mais eficiência. Seu principal diferencial é a consistência líquida a temperatura ambiente, facilitando a utilização, além de proporcionar maior rendimento e praticidade na operação geral de fritura, mantendo o verdadeiro sabor dos alimentos e deixando-os mais crocantes por mais tempo”, explica André Gasparini, diretor comercial da Agropalma.

Na panificação, o óleo de palma é amplamente utilizado nas massas em geral, incluindo pães, tortas, bolos, rosquinhas e biscoitos amanteigados, garantindo estabilidade e neutralidade de sabor. É um produto versátil e de fácil manuseio, que confere volume e maciez aos produtos. Também é muito aplicado em cremes e recheios.

Sustentabilidade
Com o aumento da competitividade e a globalização, a sustentabilidade deixou de ser uma exigência apenas dos países europeus e passou a ser uma prioridade também no mercado interno. A Agropalma tem 100% de sua produção certificada, tornando-se referência no setor de óleo de palma. Além da garantia de qualidade, com a aplicação de inovadoras tecnologias para oferecer um produto de alta performance, a empresa se preocupa com os processos de produção, passando a ser reconhecida como a maior produtora de óleo de palma sustentável da América Latina.

Fonte: AtitudeCom Estratégia em Comunicação