3 de novembro de 2021

A Irani Papel e Embalagem, uma das principais indústrias de papel para embalagens e embalagens de papelão ondulado do Brasil, fechou mais um trimestre com resultados históricos. A companhia encerrou o 3º trimestre de 2021 com lucro líquido de R$ 97,5 milhões, alta de 281,9% em comparação aos R$ 25,5 milhões alcançados no 3º trimestre de 2020 e crescimento de 44,2% em relação aos R$ 67,7 milhões registados no 2º trimestre deste ano. Cabe salientar que neste trimestre foram reconhecidos R$ 25,2 milhões no Lucro Líquido, referente a crédito de IRPJ/CSLL.

O lucro bruto da Irani também foi expressivo, com aumento de 131,2% ante o 3º trimestre de 2020 e alta de 17% em comparação aos números obtidos de abril a junho de 2021, assim como a receita líquida, que alcançou resultados relevantes neste trimestre, chegando a R$ 432,4 milhões – valor 65,5% superior aos R$ 261,3 milhões registrados em igual período de 2020 e alta de 7,3% (R$ 403,1 milhões) comparado ao 2º trimestre deste ano.

O EBITDA Ajustado da companhia entre os meses de julho e setembro foi de R$ 140,3 milhões, com margem de 32,4%, sendo 152,2% superior ao apurado no 3º trimestre de 2020, quando a empresa registrou R$ 55,6 milhões, com margem de 21,3%. Em comparação ao 2º trimestre deste ano, o EBITDA Ajustado foi 17,8% superior aos R$ 119 milhões, com margem de 29,5%.

O crescimento EBITDA Ajustado foi alcançado devido à receita líquida, que registrou aumento de 65,5% quando comparada ao 3º trimestre de 2020 e de 7,3% em relação ao último período reportado. Outro índice que contribuiu para o EBITDA Ajustado foi a melhora na margem de venda em todos os segmentos que a companhia atua.

O volume de vendas do segmento Embalagem de Papelão Ondulado totalizou 39,8 mil toneladas entre julho e setembro. No mesmo período, o segmento de Papel para Embalagens alcançou 32 mil toneladas, enquanto o segmento Florestal RS e Resinas totalizou 4 mil toneladas.

“Mesmo em um período caracterizado pelas instabilidades no mercado internacional e local, que ainda estão sofrendo com as consequências da pandemia, a companhia alcançou resultados muito positivos, dando sequência ao trimestre anterior, onde os números já mostravam um desempenho operacional consistente em todos os setores de atuação”, destaca Odivan Cargnin, Diretor de Administração, Finanças e Relações com Investidores.

Plataforma Gaia

Entre julho e setembro, a Irani deu sequência aos investimentos de otimização dos seus ativos. Ao todo foram desembolsados R$ 121,6 milhões neste período, para reflorestamento, manutenção e melhorias de máquinas e equipamentos. Desse montante, R$ 96,3 milhões foram destinados à execução do primeiro ciclo da Plataforma Gaia.

Durante o período reportado, o conselho de administração da companhia também aprovou o segundo ciclo de investimentos da Plataforma Gaia, que é estimado em R$ 92,2 milhões, incluindo os tributos.

O portfólio de projetos de expansão da companhia tem como objetivo ampliar a competitividade, capacidade de produção e autossuficiência energética nas unidades de Papel, em Campina da Alegria, em Vargem Bonita (SC), e Embalagem, em Indaiatuba (SP).

“O mercado de papel e embalagem vive um bom momento, com a sociedade demandando cada vez mais. Para acompanhar essa tendência e alcançar mais ganhos de produtividade e competitividade, é necessário investir e buscar um crescimento sustentável e socialmente responsável. Por isso a Plataforma Gaia se faz tão importante dentro da estratégia de negócios da companhia”, comenta Sérgio Ribas, diretor-presidente da Irani Papel e Embalagem.

Investor Day

A atualização da Plataforma Gaia, assim como informações referentes às estratégias de negócios, iniciativas ESG e investimentos futuros, foi apresentada no início de outubro quando a companhia promoveu o seu primeiro Irani Investor Day. O evento realizado em formato online, contou com a participação de acionistas, potenciais investidores, analistas financeiros e interessados em entender melhor os planos da companhia.

Na apresentação, conduzida pelo diretor-presidente Sérgio Ribas, e participação dos demais diretores, foi reforçada a estratégia da Irani de ser uma empresa com DNA ESG, com performance operacional diferenciada e gerando valor diferenciado aos acionistas e demais stakeholders .

“O desenvolvimento acontece de dentro para fora e ao promover um ambiente favorável a todos os envolvidos, se torna possível alcançar bons resultados, como neste terceiro trimestre. Por isso pretendemos seguir transformando a vida das pessoas com atitudes e soluções sustentáveis, construindo relações de valor, para podermos nos tornar uma companhia cada vez melhor”, disse Sérgio Ribas.
Fonte: Máquina Cohn & Wolfe