17 de dezembro de 2021

A Haskell Cosméticos está de cara nova e apresenta uma nova identidade visual – com embalagens mais sustentáveis, modernas, personalizadas e funcionais. Ao longo de seus 21 anos produzindo produtos de beleza e estimulando a autoestima da mulher brasileira, a marca decidiu ir além e caminhar rumo a um futuro melhor.

O lançamento vem acompanhado de outras novidades, como produtos 100% livres de parabenos, fórmulas mais vegetalizadas (com a mesma performance), redução de 85% dos corantes e reciclagem através da logística reversa (com impacto social) – trata-se de uma compensação ambiental com o objetivo de reduzir o impacto no meio ambiente.

Visando ampliar o protagonismo no mercado, em todo território nacional e internacional – onde atua em mais de 20 países -, e caminhar junto às tendências de mercado na preocupação com o meio ambiente, a Haskell tem como vertente, desde o início de sua história, ser um agente transformador no mundo onde se vive, por meio de atitudes sociais, ações afetivas, e na entrega de produtos tecnológicos e de alta qualidade.

As linhas sucesso de vendas, a ”Mandioca” e a ”Cavalo Forte”, continuam com o mesmo poder de performance e atuação, mas ganharam mudanças. A Cavalo Forte, por exemplo, continua com os ativos de biotina, pantenol e queratina, mas perdeu 100% dos parabenos e trocou a queratina animal pela vegetal. A Haskell, que já não fazia testes em animais (cruelty-free), passa a ter mais produtos veganos no portfólio.

Outra novidade é a conquista da certificação PETA – People for the Ethical Treatment of Animals – uma organização não governamental norte americana que é referência no meio. A PETA atesta que a Haskell é uma empresa livre de crueldade animal, em toda sua cadeia produtiva.

As novas embalagens reformuladas já começaram, gradualmente, a chegar aos pontos de venda espalhados por todo o território nacional.

De acordo com Mayara Araújo, gerente de marketing, o objetivo dessa transformação é aproximar a marca de seu propósito já existente, mas que poderia evoluir ainda mais.

“Estamos trabalhando nesse projeto há, aproximadamente, 3 anos. Voltamos o olhar para dentro, revisamos nossos valores, desenvolvemos a cultura, para, agora, estarmos prontos para externalizar essa evolução, rumo a um futuro mais sustentável, transparente e justo, fazendo da Haskell um agente transformador e uma empresa que vai além. É sobre fazer mais do que cosméticos, é sobre influenciar positivamente as pessoas e ir ao encontro das suas novas necessidades e desejos.”

O diretor de artes, Luciano Lima, também comenta sobre como a embalagem foi idealizada: “Evoluímos o shape já existente, adicionando novos frisos no coroamento para gerar elegância e continuidade visual no ponto de venda. As cores e os rótulos foram redesenhados, objetivando harmonia visual como um todo. As mudanças foram além da forma, os claims e atributos foram reescritos para uma melhor interpretação das informações pelo consumidor. Tudo isso para alinhar a embalagem com o novo propósito da marca.”

Fonte: Hochmuller Multimídia