10 de dezembro de 2021

A C-Pack Creative Packaging, empresa líder na América Latina em produção de bisnagas plásticas extrusadas para a indústria de cosméticos, ingressou no mês de novembro na Rede Brasil do Pacto Global, iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU) para mobilizar a comunidade empresarial pela adoção e promoção, em suas práticas de negócios, dos “Dez Princípios Universalmente Aceitos” nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e combate à corrupção. Com a criação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o Pacto Global também assumiu a missão de engajar o setor privado nesta nova agenda.
E com o objetivo de participar ativamente desta iniciativa da ONU, a C-Pack está implementando diversas ações que estão alinhadas aos ODS. Segundo o gerente da qualidade da C-Pack, Fernando Silveira, as medidas vão além do meio ambiente e que ao integrar esse pacto, firmam publicamente o compromisso com a sociedade. “Há muito tempo, a C-Pack se compromete com atitudes que estão alinhadas com dez princípios, como a reciclagem de quase todo o descarte, além da utilização de pouca água, sendo que 30% dela é vinda do uso de água das chuvas. Mas atualmente, o nosso interesse é ir mais longe e por isso criamos o projeto C-Pack 2030, que está totalmente alinhado com a agenda 2030 da ONU”, revela.
Além dessas ações, a empresa oferece produtos fabricados com plástico reciclado pós-consumo (PCR) e plástico vegetal, este último criado a partir da cana-de-açúcar. A C-Pack possui serviço de entregas com caixas plásticas retornáveis. Outro tema que merece destaque é o envolvimento direto com melhorias e desenvolvimento de projetos sustentáveis no Parque Estadual da Serra de Tabuleiro, que fica em Santa Catarina.
Para, José Maurício Coelho, CEO da C-Pack, participar do Pacto Global não significa fazer algo diferente do que a empresa já faz, uma vez que desde o princípio existia a preocupação em produzir de forma limpa, mas sim intensificar essas soluções. “Continuaremos a realizar o nosso trabalho da melhor forma possível, mas temos o objetivo de ampliar ainda mais os nossos indicadores, colocando em prática ações que fazem a diferença além do meio ambiente, mas seguindo as determinações das ODS com metas definidas”, relata.
Outro detalhe que o CEO destaca é que participar dessa iniciativa gera ainda mais confiança para os stakeholders, sejam eles colaboradores, clientes, acionistas, fornecedores, o governo e o próprio meio ambiente.
Pedro Augusto, coordenador de Adesão e Engajamento do Pacto Global, explica que as empresas de todo o mundo estão se dedicando para dar uma atenção maior aos pontos levantados pela ONU, porque já entenderam sobre a importância de determinadas áreas.
Entretanto, o maior desafio para os empresários ainda é compreender como a sustentabilidade pode ser inserida de forma estratégica nos negócios. “Muitas empresas brasileiras são referência quando se trata dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Enquanto em países europeus os consumidores têm mais consciência, no Brasil as instituições já atuam com essa agenda há algum tempo, com trabalhos voltados para a neutralidade do carbono e na redução de poluentes e gases estufa. Mas ainda assim, há espaço para o crescimento e com metas ambiciosas e alcançáveis, as companhias podem cumprir com o pacto”, conclui.
Criado em 2000, o Pacto Global foi idealizado pelo ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan e dá aos membros, como a C-Pack, acesso a ferramentas que contribuirão para ampliar o envolvimento com os temas de sustentabilidade e com as discussões na área. Também possibilita a participação em programas locais e internacionais, dentre os quais os grupos temáticos que conduzem projetos nas áreas de água, alimentos e agricultura, anticorrupção, direitos humanos e trabalho, energia e clima. Com mais de 17 mil participantes em quase 170 países, a iniciativa conta com mais de 1300 membros no Brasil, país que possui a terceira maior rede no mundo.
Ao integrar o Pacto Global, as empresas devem se comprometer a reportar anualmente quais foram os progressos em relação aos dez princípios. Assim, a iniciativa estimula a evolução constante das práticas internas de sustentabilidade. As empresas que tiverem interesse podem encontrar mais informações em www.pactoglobal.org.br
Fonte: Carolina Lara Comunicação