30 de maio de 2017

A competitividade impõe a adoção de modelos de negócios mais modernos, a exemplo da comercialização de marcas próprias.

A prática que já é sucesso na Europa e nos Estados Unidos, em redes como CVS® e Target® (americanas), DM® (alemã), Boots® (inglesa), entre tantas outras, ainda é pouco vista no Brasil, com exceções pontuais, como a marca Needs®, da rede Droga Raia®.

A Panvel®, rede gaúcha, é uma delas. Já presente em todo o Sul do país, tem investido bastante em várias marcas próprias, apostando em boas embalagens, materiais diferenciados e inovação, comunicando seus benefícios com equipe bem treinada.

Um exemplo digno de nota foi a aposta na linha de sabonete líquido especialmente “vestida” para a Páscoa, numa embalagem temática. O produto vinha num frasco em PET ovalado e ainda com aroma de chocolate. Excelente opção de presente inusitado que substituía ou complementava o tradicional ovo de Páscoa. O cartucho ou embalagem do frasco tinha até orelhas de coelho, sendo um perfeito presente para a época! Demonstração clara de que se pode inovar de forma simples, entregando relevância dentro do timing.

Já a delicadeza da linha Baby Clube®, especialmente desenhada para os pequenos consumidores e para convencer mamães e titias, é digna de destaque: design e cores suaves, ergonomia e funcionalidade adequadas. A tampa push and pull, a qualidade da impressão e a impecável aplicação do rótulo termoencolhível são provas do cuidado com as embalagens.

Destaque ainda para a linha Vert®, que se propõe a ser uma alternativa saudável e brasileira, usando ingredientes naturais e da nossa flora em seus produtos, a exemplo de frutas como maracujá, castanhas brasileiras, entre outros ativos.

A maior surpresa são as embalagens utilizadas: no caso do frasco do óleo corporal, é de PET 100% reciclado, além da rotulagem ambiental completa identificando todos os materiais, bem como a simbologia de descarte correta.

Na linha de cremes que estão em bisnagas, por exemplo, optaram pelo PE verde da Braskem®, por ser de fonte renovável. Os cartuchos são em papelcartão com porcentual de 40% de papelcartão reciclado pós-consumo, contando novamente com a comunicação (simbologia e rotulagem corretas), sem apelar ao green washing (maquiagem verde), que apenas confunde o consumidor.

Com isso tudo, os consumidores estão cada vez mais bem informados, e as empresas honestas serão beneficiadas pelas iniciativas válidas.

Embalagem melhor. Mundo melhor. Sempre!

Créditos:

*Assunta Napolitano Camilo: Diretora da FuturePack – Consultoria de Embalagens e do Instituto de Embalagens – Ensino & Pesquisa.